junho 12, 2024
InícioDestaquesDENÚNCIA: Filho da titular de Educação mora em Curitiba e tem cargo...

DENÚNCIA: Filho da titular de Educação mora em Curitiba e tem cargo comissionado na Prefeitura de Pacaraima

Publicado em

Em denúncia enviada ao O FATO, servidores municipais fazem grave acusação contra a gestão do prefeito de Pacaraima, Juliano Torquato (Republicanos). Os denunciantes afirmam que o filho da secretária de Educação, Alsione Pereira de Alencar, é funcionário fantasma com cargo no alto escalação da prefeitura daquele município.

Conforme os denunciantes, que pediram para não terem os nomes revelados por temerem represálias, o filho da secretária, identificado como Lucas Henrique Alencar Peixoto, foi nomeado para trabalhar na Secretaria Municipal de Administração da Prefeitura de Pacaraima.

No entanto, desde que foi nomeado para o cargo de coordenador de departamento, jamais compareceu ao local para desempenhar as atribuições da função.

Para deixar o caso ainda mais grave, servidores públicos garantem que Lucas mora em Curitiba, capital do Paraná, e sequer pisou na secretaria desde que foi nomeado. Antes disso, Lucas era nomeado e lotado na Secretaria de Educação, sob o comando da própria mãe.

Conforme pesquisa no Portal da Transparência da Prefeitura de Pacaraima é possível verificar que Lucas tem salário de R$ 2 mil bruto.

Silêncio 

Diante da grave denúncia, a reportagem tentou contato com o prefeito Juliano Torquato para questionar sobre o caso, se ele se manifestaria, se o servidor seria exonerado e se ele acionaria a Justiça contra o filho da secretária. Até a publicação da matéria não houve retorno.

Quem é Alsione Pereira de Alencar

Alsione Pereira de Alencar foi denunciada por ocupar de forma irregular cargos na Prefeitura de Pacaraima e no Governo do Estado.

De acordo com a denúncia, Alsione ainda ocupa os cargos de professora estadual efetiva do estado de Roraima, estando em estágio probatório à disposição do município, enquanto também mantém sua posição como professora efetiva na rede municipal de Pacaraima, além de assumir a presidência em exercício da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

A Constituição Federal é explícita no artigo 37, inciso XVI, ao afirmar que é proibida a acumulação remunerada de cargos públicos, a menos que haja compatibilidade de horários. Com base nesse mesmo dispositivo constitucional, o acúmulo de funções só é permitido nos casos de dois cargos de professor sendo o segundo de caráter técnico ou científico.

Foto: Divulgação 

Últimos Artigos

Agentes da Polícia Civil de Roraima participam de operação nacional de proteção ao Meio Ambiente

A PCRR (Polícia Civil de Roraima), por meio da DPMA (Delegacia de Proteção ao...

Em Brasília, Helder Barbalho diz que escolheu para o Pará modelo de desenvolvimento baseado em floresta viva

O governador do Pará, Helder Barbalho, afirmou, nesta quarta-feira, 12, que o Estado do...

Professor é condenado a 114 anos de prisão por estupro de seis crianças em Jaci-Paraná; Denúncia foi do MP

O Ministério Público de Rondônia (MPRO) obteve, junto ao Poder Judiciário, a condenação de...

ALE vai tomar providências contra policial civil de Roraima que chamou deputado de “otário”, “mentiroso” e “banana”

Nesta quarta-feira, 12, a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) se reuniu...

Mais como este

Agentes da Polícia Civil de Roraima participam de operação nacional de proteção ao Meio Ambiente

A PCRR (Polícia Civil de Roraima), por meio da DPMA (Delegacia de Proteção ao...

Em Brasília, Helder Barbalho diz que escolheu para o Pará modelo de desenvolvimento baseado em floresta viva

O governador do Pará, Helder Barbalho, afirmou, nesta quarta-feira, 12, que o Estado do...

Professor é condenado a 114 anos de prisão por estupro de seis crianças em Jaci-Paraná; Denúncia foi do MP

O Ministério Público de Rondônia (MPRO) obteve, junto ao Poder Judiciário, a condenação de...