junho 12, 2024
InícioDestaquesDeputado Zé Haroldo Cathedral defende mudanças nas diretrizes de atendimento para estudantes...

Deputado Zé Haroldo Cathedral defende mudanças nas diretrizes de atendimento para estudantes com autismo

Publicado em

As Comissões de Educação e de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência realizaram, nesta terça-feira, 11, uma audiência pública conjunta para discutir as orientações para o atendimento de estudantes com autismo. O debate foi proposto pelos deputados Zé Haroldo Cathedral (PSD/RR) e Saulo Pereira (PSD-SP).

O evento reuniu especialistas, representantes do governo e da sociedade civil, que compartilharam suas experiências e conhecimentos sobre o tema.

Para o deputado Zé Haroldo Cathedral, a audiência traz o desafio de retomar a discussão, ouvindo diferentes perspectivas, a fim de buscar consensos sobre o Parecer 50/2023 do Conselho Nacional da Educação (CNE), que trata das orientações para o atendimento de estudantes com autismo.

“O texto proposto no parecer não é o fim, mas o início da construção do caminho que tanto almejamos para a acessibilidade educacional. E para que ele atinja a dimensão de proteção, precisa ser escrito por várias mãos, escutando não apenas professores e especialistas, mas também autistas e todas as pessoas com deficiência que ele alcança. Assim, vamos realmente reduzir as distâncias entre as normas vigentes e o cotidiano escolar,” pontuou.

Críticas

Os debatedores apontaram falhas na abordagem definida no Parecer 50/2023 do CNE. Para o presidente da Associação Nacional para Inclusão das Pessoas Autistas, Guilherme de Almeida, o documento representa um retrocesso na política de educação inclusiva ao adotar um modelo médico. “É estranho que o Conselho Nacional de Educação tenha esse olhar baseado na medicina. O conselho se voltou para os profissionais de saúde e não para os de educação.”

O representante da Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down, Pedro Lucas, criticou a exclusão das entidades ligadas à causa e a falta de contemplação das demandas fundamentais das pessoas com deficiência no parecer. “A construção deste texto não ouviu os autistas, entidades, professores e a comunidade escolar. As políticas propostas no país não podem ser meros instrumentos normativos; elas precisam ser pensadas para as pessoas,” defendeu.

O diretor de Políticas de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva, representando o Ministério da Educação, Francisco Alexandre Dourado Mapurunga, salientou que o documento de 2023 surgiu diante do desafio de responder às demandas da sociedade e assegurou que as modificações sugeridas serão realizadas, levando em conta a abordagem social e respeitando os princípios da educação inclusiva. “Vamos corrigir os erros para conseguir homologar um texto mais efetivo e que seja um instrumento de proteção social.”

Ao finalizar sua fala, o deputado Zé Haroldo reafirmou seu compromisso com a educação inclusiva. “O Brasil precisa evoluir. A nossa consciência coletiva deve avançar para que nosso país se torne verdadeiramente um lugar de equidade de direitos, onde a igualdade de oportunidades seja uma premissa fundamental, e cada indivíduo seja de fato reconhecido e valorizado em sua singularidade,” afirmou.

Foto: Divulgação

Últimos Artigos

Luiza Trajano, do Grupo Magalu, reúne lideranças em evento do Grupo Mulheres do Brasil, em Manaus

A empresária e empreendedora social Luiza Trajano, participou nesta quarta-feira, 12, em Manaus, de...

Agentes da Polícia Civil de Roraima participam de operação nacional de proteção ao Meio Ambiente

A PCRR (Polícia Civil de Roraima), por meio da DPMA (Delegacia de Proteção ao...

Em Brasília, Helder Barbalho diz que escolheu para o Pará modelo de desenvolvimento baseado em floresta viva

O governador do Pará, Helder Barbalho, afirmou, nesta quarta-feira, 12, que o Estado do...

Professor é condenado a 114 anos de prisão por estupro de seis crianças em Jaci-Paraná; Denúncia foi do MP

O Ministério Público de Rondônia (MPRO) obteve, junto ao Poder Judiciário, a condenação de...

Mais como este

Luiza Trajano, do Grupo Magalu, reúne lideranças em evento do Grupo Mulheres do Brasil, em Manaus

A empresária e empreendedora social Luiza Trajano, participou nesta quarta-feira, 12, em Manaus, de...

Agentes da Polícia Civil de Roraima participam de operação nacional de proteção ao Meio Ambiente

A PCRR (Polícia Civil de Roraima), por meio da DPMA (Delegacia de Proteção ao...

Em Brasília, Helder Barbalho diz que escolheu para o Pará modelo de desenvolvimento baseado em floresta viva

O governador do Pará, Helder Barbalho, afirmou, nesta quarta-feira, 12, que o Estado do...